PÃO NOSSO

Estudo doutrinário: Mathias Grava da Conceição

pão nosso Pelo espírito: Emmanuel

Psicografado por: Francisco Cândido Xavier

Editora: FEB

Data da 1ª edição: 1950

Introdução:

O livro Pão Nosso traz interpretações dos ensinamentos do Evangelho. Explanações que não têm por função apenas elucidar e encantar, mas nos incentivar à ação, ensinando-nos a buscar a reforma íntima, o nosso progresso moral. Pois, o conhecimento só tem valor quando colocado em prática, quando muda o nosso comportamento, como nos ensina o autor:

“O problema não é apenas de saber. É o de reformar-se cada um para a extensão do bem.”

                                                                                                                                  Emmanuel


1-Mãos à obra

Trabalhemos sempre, cooperando com as atividades da nossa instituição. Não esperemos pessoas mais instruídas, ou mais preparadas, para o desenvolvimento das atividades. Colaboremos com a nossa força de vontade e esforço, o requisito principal para o início e o desenvolvimento de qualquer atividade é: boa vontade.


2-Pensa um Pouco

Observamos muitos companheiros que buscam incessantemente honrarias e situações de destaque entre os homens. O que não devemos olvidar é a transitoriedade da nossa existência, todos os títulos e condecorações ficarão aqui. Devemos aprender que na vida verdadeira estes títulos não serão levados em conta, somente as nossa obras, os nossos feitos. Aprendamos a buscar os “tesouros” imperecíveis, pois somente estes levaremos conosco.

3-O Arado

Tenhamos a certeza que não há outro caminho para a nossa ascensão espiritual que não seja o trabalho, o enfrentamento das dificuldades sem esmorecimento, sendo assim abandonemos a ociosidade perniciosa e a preguiça estagnadora, busquemos trabalhar sempre de bom ânimo e com alegria que a recompensa chegará.

4- Antes de servir

Tudo em a natureza tem sua utilidade, as árvores, as rochas, os animais, cada qual desenvolve sua função no progresso do planeta, conosco não poderia ser diferente, devemos aprimorar nossas potencialidades servindo, não desperdicemos nossa preciosa oportunidade na inutilidade.


5-Salários

Não ignoremos a necessidade do dinheiro no atual mundo em que vivemos. Todavia, não o consideremos sinônimo de felicidade ou isenção de sofrimento. Aprendamos a usufruir de seus benefícios com responsabilidade, nunca esquecendo porém de nossa transitoriedade na Terra e quais os verdadeiros valores que devemos almejar.


6-Valei-vos da Luz

Devemos utilizar o nosso conhecimento para o trabalho edificante, no serviço proveitoso. Sejamos ferramentas da bondade, usemos nossas habilidades buscando o bem maior, façamos melhores empregos delas, para que assim estejamos sendo úteis. Demonstremos boa vontade. A ajuda dos companheiros espirituais nos favorece. Agindo dessa forma estaremos sempre bem acompanhados.

Só há uma receita para afastar as más companhias: atrair as boas!


7-A Semente

 A semente  pequenina demora muitos anos para se tornar árvore. Na natureza nada acontece de uma hora para a outra, temos que aprender a sublime lição, esperar para ver os bons resultados, sermos mais pacientes.

Somos muito imediatistas, aprendamos com a natureza, saibamos esperar… todo bom plantio gera excelentes colheitas, no tempo certo!


8- Ansiedades

A ansiedade é um dos grandes problemas da humanidade. Sofremos por males antecipadamente, muitos vezes por coisas que nem chegarão a acontecer, é uma pré-ocupação de grau elevado. Para não sucumbirmos aprendamos a manter nossa mente superior, sintonizada com o bem maior, lembrando sempre que não estamos sozinhos. Busquemos essa paz, essa confiança no mais alto, como o Mestre ensinou: “Basta a cada dia o seu próprio mal”. Sigamos trabalhando no dia presente, que o futuro está nas mão sábias de Deus.


9 – Homens de fé

Sempre admiramos os grandes homens do cristianismo, que tecem ensinos sublimes. Mas, vale lembrar que nossos veneráveis irmãos não alcançaram essa condição apenas como oradores, eles colocaram em prática os ensinos do mestre, se empenharam no esforço diário. O estudo e as palestras edificantes são muito importantes, mas não devemos esquecer da ação, colocar em prática os sublimes ensinos. Pois, só assim nos tornaremos efetivamente homens de fé.


10 – Sentimentos Fraternos

A fraternidade é uma virtude  que  facilitaria muito a nossa existência, reduziria muitos problemas do mundo. A questão é que, muitas vezes, esperamos uma ajuda milagrosa dos amigos espirituais, como se estes já não estivessem nos amparando constantemente. Na verdade, cabe a nós mesmos o esforço do sentimento fraterno. No fundo, a falta de fraternidade entre os homens nos remete ao ensino do cristo que ainda não conseguimos alcançar: “Amai-vos uns aos outros”.


11 – O Bem é Incansável

Se nos sentimos cansados ao desenvolver algum trabalho no bem, é que ainda não compreendemos o sentido real de sua prática. O nosso objetivo na presente encarnação é a evolução espiritual, e o trabalho no bem é o que a proporcionará. Ao compreendermos isto, o serviço não mais nos cansará, pois nos sentiremos realizados, satisfeito com o desenvolvimento de nossa função.


12 – Pensaste nisso?

O nosso corpo carnal é uma vestimenta. Um envólucro do nosso espírito que nos permite cumprir, desenvolver os trabalhos que necessitamos para nossa evolução, é um instrumento santificado. Todos os desvios e as falhas que cometemos são oriundos de nossa inferioridade moral, não devemos atribuir ao nosso corpo tais erros. Ele é apenas um mecanismo, o espírito que o comanda. Pode-se, assim, rebaixá-lo a níveis animalescos ou o elevar a alturas angelicais.


13 – Estações necessárias

Nesta lição, Emmanuel nos informa sobre o caminho evolutivo, que muitas vezes achamos ser algo simples, como se apenas frequentando determinada religião, participando de algumas de suas atividades já bastasse, e não é bem assim. Em verdade, como ele nos instrui, tudo isso, todas estas atividades fazem parte do processo, mas são apenas etapas, estações necessárias.

Para alcançarmos a verdadeira evolução temos de ir galgando essas etapas, esses degraus um a um. Além dessas atividades, temos que combater nossas tendências inferiores, nossos vícios, entre outros,  e assim, vamos nos transformando em pessoas melhores.


14 – Páginas

Neste capitulo do livro, Emmanuel nos alerta sobre um problema muito atual, que é o cuidado na hora da leitura, devemos sempre buscar livros de procedência, de autores sérios, idôneos, que trabalham no sentido da divulgação e do estudo serio da doutrina. Infelizmente há muitos livros que fogem desse intuito e por vezes se estivermos desatentos acabamos consumindo esses produtos. Busquemos sempre livros que nos elevem os pensamentos, que nos façam refletir sobre nossos atos, que nos estimulem a mudança, a reforma intima, que nos mostre bons exemplos, que nos sintonizem, enfim, com as esferas mais altas, sem os partidarismos e parcialidades oriundas da nossa atual condição. Enfim, busquemos a boa literatura, com o intuito de irmos atrás das ferramentas necessárias ao nosso progresso moral.


15 – Pensamentos

Emmanuel e taxativo nesse assunto, o grande autor espiritual, sempre nos chama a reflexão sobre nossos pensamentos. Todas as obras da humanidade existiram antes no campo dos pensamentos. E o teor dessas obras reflete a qualidade dos nossos pensamentos.  Urge que busquemos a mudança dos nossos pensamentos, ainda tão inferiorizados. Como o autor nos ensina, os nossos pensamentos são a origem de todos os nossos atos, então, a limpeza do pensamento se faz exercício necessário e fundamental para o aprimoramento da nossa própria evolução. Se não buscarmos a mudança de dentro para fora não lograremos êxito. Mudando a forma de pensar, dentro de pouco tempo conseguiremos ver a mudança na nossa forma de agir e de nos relacionar. Só assim estaremos edificando a mudança real.


16 – A quem obedeces?

Todos nós que estamos aqui encarnados obedecemos a algo, cada escolha que fazemos, cada atitude que tomamos, estamos sempre escolhendo um caminho dentre vários que a vida nos apresenta, infelizmente muito desses caminhos que  nós escolhemos acabam por nos colocar em situações ruins e que às vezes são muito difíceis de sair, por isso Emmanuel nos aconselha a procurar sempre obedecer aos ensinos do Cristo, não no sentido de uma imposição, mas sim no sentido de favorecer a nos mesmos. Quando nos esforçamos em agir da maneira correta, de acordo com os ensinos cristãos, automaticamente mudamos nossa visão diante da vida e o que antes parecia um problema insolúvel, se transforma em pequeno obstáculo que facilmente conseguimos transpor. Analisemos as nossas atitudes e procuremos refletir a quem estamos obedecendo.


17 – Intercessão

Muitas pessoas dentro do próprio meio espirita não acreditam nas preces  intercessoras, o que  é um grande equivoco, pois sabemos que todos os nossos pensamentos emitem energias e essas energias podem sim chegar ao nosso companheiro que esteja em dificuldade e favorece- los sobremaneira. Necessita-se sempre salientar, que todas as nossas preces devem ser feitas com sinceridade e sentimento verdadeiro, não serão as palavras que irão minimizar o sofrimento do nosso irmão e sim a forca do nosso pensamento em favor dele, o sentimento que colocamos em nossa prece.  Já tivemos exemplo na literatura espirita, que ate uma simples carta pode conter vibrações positivas e beneficiar seu leitor. Não olvidemos o poder das preces intercessoras lembrando que Jesus orou em favor de muitos.


18 – Provas de fogo

Quando um aluno esta cursando a escola, a cada final de bimestre, normalmente, os professores lhes aplicam uma prova, para verificar se o aluno realmente aprendeu a matéria dada no decorrer desses dois meses. Coisa muito semelhante ocorre na nossa vida, quando estamos frequentando determinada religião, podemos afirmar que os estudos, as palestras, são a parte teórica de como devemos agir diante das situações adversas, e, assim como na escola, vez por outra passamos por “provas de fogo”, situações difíceis que testam a nossa reação diante da situação-problema, lembremos sempre disso, a religião se faz importante somente se conseguirmos colocar a teoria em pratica.


19 – Falsas alegações

Certa feita uma pessoa submetida a um companheiro espiritual de baixo grau evolutivo, foi levado à presença de Jesus, tal espirito ao sentir a presença do mestre, refuta-o dizendo que ele o atormentava. Sabemos que uma pessoa da estirpe do Cristo jamais provocaria tormentos em qualquer pessoa.  Claramente percebe-se que oque atormentava esse espirito era sua própria condição inferior que, ao notar a presença do ser iluminado, sentiu-se constrangido, ofuscado pela claridade do divino mestre, ocorrendo assim a repulsa natural. Trazendo essa passagem para os nossos dias atuais, não raro, nos encontramos, muitas vezes, “fugindo” das verdades religiosas, não se preocupando com “tais coisas”, não tendo tempo, etc. Lembremo-nos dessa passagem, pois tais “ fugas” acabam denunciando-nos.


20 – A marcha

Jesus nos disse que importa caminhar, hoje, amanha e sempre, com essas palavras o mestre nos traçava importante roteiro de alta iluminação. Sabemos que indubitavelmente seremos surpreendidos por situações adversas, no atual momento, nenhum de nos esta livre desses obstáculos. Sabemos que todas essas dificuldades são necessárias para o nosso crescimento, pois bem, mas para além dessa certeza devemos também lembrar essas palavras do cristo… Caminhar sempre! Na maioria das vezes quando nos deparamos com as dificuldades tendemos a desistir, a se lamuriar, nos vitimizar e estagnamos, interrompendo assim a nossa caminhada. Urge nos esforçarmos para continuar caminhando, não nos deixando abater, nem desanimar. Continuemos a caminhar sempre! Pois quando nos esforçamos, com boa vontade, contamos sempre com a ajuda de amigos invisíveis!


21 – Mar alto

Todos nós, no plano em que vivemos, enfrentaremos em algum momento de nossa vida, dificuldades mais agudas. É comum sentirmo-nos abandonados, sozinhos e desanimarmos da nossa caminhada. Jesus, que nos conhece intimamente, nos deixou valiosa lição nesse sentido na passagem do evangelho de Lucas, quando ele lhes indica ir lançar as redes em ‘mar alto’. Mar alto nessa figura de linguagem do mestre se referia a esses momentos de maior dificuldade, que todos nos enfrentaremos. O mais belo dessa passagem é o conforto que nos passa, que quando nos sentirmos sozinhos, sem amigos é que Jesus nos enviou ao mar alto para provarmos as nossas conquistas e sempre vale lembrar que nesses momentos de luta, contamos sempre com os amigos invisíveis que jamais nos desamparam, principalmente nesses momentos. Sigamos confiando!


22 – Inconstantes

Emmanuel analisa a fala de Tiago, na qual ele afirma que a pessoa que duvida e semelhante à onda do mar que fica batendo de um lado para o outro. A nossa inconstância prejudica principalmente a nós mesmos, temos o péssimo habito de não investir nosso tempo em nada, somos demasiadamente imediatistas, queremos resultados imediatos, mesmo sabendo que não é assim que as coisas funcionam. O bom senso nos manda sempre persistir nas situações na qual nos encontramos, não desistamos no primeiro obstáculo, vamos enfrentar as dificuldades que aparecem, vamos persistir, nunca estamos desamparados, tenhamos confiança nas escolhas que fazemos e vamos lutar por elas, ser perseverantes, dificuldades vão surgir sempre, que isso não seja motivo para desistirmos.


23 – Não é de todos

Nessa lição Emmanuel nos fala sobre a fé. Muitas pessoas buscarão a religião de forma equivocada, buscando privilégios, facilidades, e podem acabar atrapalhando as pessoas que buscam através da religião caminhos para reforma intima. Mas como o autor nos ensina há uma característica que difere os dois tipos de pessoas, é a fé. Ter acesso as informações, repetir os discursos, todos conseguem, mas a fé viva dentro do coração somente quem conseguiu forja-la através de muita mudança intima, muita abnegação e esforço próprio. Busquemos ser esse tipo de pessoa, que busca a fé verdadeira, a confiança nas escolhas, assim agindo seremos beneficiados pelo fortalecimento dos amigos espirituais nos incentivando a seguir sempre adiante. 


24 – Filhos Pródigos

Na lição do filho pródigo, muitos creem que o exemplo caiba somente no que diz respeito às questões materiais e financeiras, o que é um erro. Irmãos que estão atuando no caminho das ciências, da política, das artes, e em tantas outras áreas muitas vezes também desperdiçam suas capacidades intelectuais, sua sensibilidade, sua imaginação em caminhos que exaltam apenas suas vaidades e acabam se perdendo nas paixões terrenas e não raro se lamentam ao ver irmãos em posições mais humildes sendo exaltados no trabalho do bem, como a belíssima lição do filho prodigo nos ilustra muito bem.  Procuremos o trabalho útil, a ocupação saudável para que não corramos o risco de desperdiçar nossas capacidades, sejamos sempre uteis, buscando sempre colaborar com progresso geral do nosso mundo, colaborando com o que pudermos.


25 – Nas estradas

Como sabemos jesus é o caminho e trilhando por esse caminho encontraremos sempre as oportunidades de crescermos intimamente.  Oque poucos observam é que as lições sublimes do mestre veem diariamente para nós através das formas mais variadas, seja através de um amigo, em um livro ou música boa, no ambiente de trabalho, enfim, que o nosso coração seja sempre solo fértil para germinarem essas lições e que deem frutos, para isso, cabe a nós o esforço diário para que transformemos nosso coração nesse solo fértil, afastando dele as ervas daninhas da inquietação, ansiedade e insegurança diária que muitas vezes surgem em nossos caminhos.


26 – Trabalhos imediatos

Quase que diariamente, através dos noticiários, recebemos notícias dos problemas do nosso mundo. Questões sociais graves, descaso das autoridades, grandes desafios. Muitas vezes nos sentimos tocados diante de tantas dificuldades surge em nós a vontade de poder ajudar, de colaborar de alguma forma. Todo impulso em fazer o bem é louvável e demonstra o germe da caridade em nossos corações, é imprescindível, no entanto, atentarmos os nossos olhares aos amigos próximos, que muitas vezes estão em atrozes dificuldades reclamando auxilio. Busquemos auxiliar o “rebanho de deus que está entre nós”. Todo trabalho no bem nos favorecerá indistintamente, olhemos longe dos holofotes, os irmãos próximos, talvez aí bem próximo de nós estará a oportunidade de auxiliarmos e trabalharmos para o cristo!


27 – Esmagamento do mal

O conflito entre o bem e o mal é uma situação habitual dos nossos dias atuais. Em qualquer canto do planeta depararemos com esse conflito. Muitos entre nós com a alma mais sensível sentem o peso desses conflitos e não raro clamam aos céus a ajuda necessária para o afastamento dos pensamentos ruins assim como das tribulações e dificuldades, não podemos negar que é uma demonstração de humildade ao reconhecer que necessita ainda da ajuda de amigos espirituais para o enfrentamento de certas situações, mas cabe a nós também o oportuno bom senso em darmos a nossa contribuição, não esperemos que outros façam o que só cabe a nós.  A ajuda do mais alto nunca nos é vedada, mas para o total êxito dos nossos enfrentamentos, a nossa colaboração ativa é parte de fundamental importância.


28 – E os fins?

A liberdade individual é sem dúvida uma conquista dos seres humanos. Devemos sempre lutar para que ela se expanda cada vez mais. Devemos ponderar, porém, que como cristãos temos responsabilidades no agir. Uma delas é contribuirmos com o mundo que vivemos. Devemos então empregar nosso tempo, nossos esforços, intelectuais, financeiros e quais quer outro de que disponhamos para um proposito edificador. Busquemos ser colaboradores ativos da construção de um mundo melhor. Colaborando da forma que pudermos. De forma que não desperdicemos nossos recursos com inutilidades. Lembremo-nos que tudo o que possuímos nada mais é do que empréstimos de deus!


29 – A vinha

Na sublime parábola da vinha, cristo nos trouxe informações profundas sobre nossa existência. Analisando a parábola percebemos que a vinha nada mais é do que o planeta terra, terreno abençoado que nos acolhe. Nós, os seus habitantes, somos os trabalhadores. Assim como na parábola nos é ensinado, devemos nos esforçar no trabalho que desempenhamos, jamais devemos esquecer que esse é o nosso principal papel, somos cocredores do nosso mundo, interferimos acentuadamente no desenvolvimento do planeta, cabe a nós a construção de um lugar mais justo e agradável de viver. Contribuamos sempre, da maneira que pudermos, somos responsáveis por isso. Busquemos fazer nosso melhor.


30 – Convenções

Todas as convenções nasceram com a permissão do pai, assim como outras obras da cultura humana têm o seu valor e sua utilidade. Oque invariavelmente acontece são o abuso e o mal-uso que nós humanos, atrasados ainda, fazemos de tais benefícios. O bom uso das convenções tenderia a nos favorecer demasiadamente nas lides do dia a dia, auxiliando ao equilíbrio necessário. Procuremos saber utilizar, mas sem abusar das convenções, para que elas não nos tornem um entrave para o progresso geral. Estejamos atentos!


31 – Com caridade

Quando falamos de caridade devemos alargar nossa compreensão sobre o tema. Não podemos restringir a caridade apenas as atitudes assistencialistas, mesmo que estas são atitudes louváveis, sem sombra de dúvidas.  Mas a palavra caridade tem sua significação bem mais profunda. Em tudo o que fizermos podemos aplicar a caridade, nos nossos trabalhos cotidianos, nas conversas informais, nas atitudes corriqueiras, triviais do dia a dia.  Aprendamos, então, a colocar caridade em tudo o que fazemos, notaremos os resultados mais adiante. Quando nos esforçamos e dedicamos ao que fazemos tudo conspira ao nosso favor!


32 – Cadáveres

Um cadáver abandonado em um terreno, sem duvidas, em pouco tempo atrairá os corvos, se quisermos afastar  as aves, se faz necessário a limpeza do terreno, eliminando os restos que ali se encontram as aves não encontrarão mais seu alimentos e partirão para outras paragens. Funciona da mesma forma com os nossos pensamentos, para afastarmos os pensamentos indesejáveis, necessitamos de uma renovação mental. Cultivando bons pensamentos afastaremos automaticamente os maus. Busquemos os bons livros, as boas músicas, as conversas edificantes, estaremos fazendo a nossa limpeza mental!


33 – Trabalhemos também

Muitas vezes ficamos perplexos com o exemplo dos apóstolos e dos grandes nomes do cristianismo, os temos como seres especiais, tamanho devotamento e coragem nas atitudes. No entanto são homens como nós, o próprio apostolo dos gentios nos faz essa afirmação. Sendo assim urge começarmos o árduo trabalho de aprimoramento íntimo, renovando nossas atitudes e comportamentos em busca de nossa própria ascensão!


34 – Lugar deserto

O trabalho e indispensável para o nosso crescimento físico e espiritual. Indispensável também se faz o repouso a fim de revigorar- nós as forças. O Cristo nos conclama a busca desse lugar deserto onde encontraremos a fonte viva das energias revigorantes, mas poupemo-nos de buscar tal lugar nas paragens terrestre, o lugar silencioso citado pelo mestre se encontra nos recônditos da nossa alma. A meditação, a reflexão são os lugares especiais que encontraremos a fonte de reabastecimento, lá nos fortaleceremos e seguiremos nossa caminhada. Quando as dificuldades aparecerem e tornarem nossa caminhada mais difícil aprendamos a descansar e não desistir.


35 – O Cristo operante

Muitas vezes nos admiramos com a história dos grandes discípulos e trabalhadores do Mestre, como por exemplo, Pedro, Paulo e tantos outros. Todos eles fizeram grandes trabalhos, contribuíram de forma direta para a difusão e instauração do cristianismo. Todavia não podemos ignorar que eles encontraram muitas dificuldades em seus caminhos, não tiveram uma vida de facilidades, pelo contrário, enfrentaram opositores poderosos, perseguições e dificuldades imensas, mas em nenhum momento viu-se eles pensarem em desistir, pois sentiam ao seu lado o cristo operante, lutando ao seu lado, os fortalecendo, sustentando-os. Assim também devemos ser. Devemos seguir em frente, dificuldades irão surgir, não tenhamos duvidas, mas continuemos em frente, sempre que nos esforçamos poderemos contar com o suporte necessário, não duvidemos disso, como a famosa frase “ajuda-te que o céu te ajudara.” 


36 – Até o fim

Nessa lição o foco e ensinamento principal dela se resume em uma única palavra, perseverança! Não pensemos que, ao escolher o caminho do bem, estaremos livres de dificuldades, cada um de nós terá de enfrentar o que for preciso para conseguir a almejada evolução, daí a importância da perseverança, para que não desistamos ante os problemas e as dificuldades, somente na persistência, até o fim, conseguiremos triunfar. Busquemos forças através da oração, do estudo, no apoio da família, amigos, enfim, aonde quer que pudermos, mas jamais pensemos em desistir, pois somente perseverando conseguiremos 


37 – Seria inútil

Muitas vezes queremos mostrar aos nossos amigos a importância da religião, queremos dividir com pessoas queridas todo o conhecimento que adquirimos, mas nem sempre o amigo está disposto a ouvir, nesses casos cabe a nós respeitarmos a vontade dele, cada um tem seu tempo de despertar, não podemos julgar que todos pensam e agem da mesma forma, cada ser e uma individualidade. Não percamos o nosso tempo e nem nossa energia querendo convencer quem não quer ser convencido, como o título do capitulo diz, seria inútil, busquemos outras formas de auxiliar e no momento oportuno, que sentirmos o amigo interessado falemos sobre esse assunto, agindo assim estaremos fecundando a semente em solo fértil.


38 – Conta particular

Imaginemos que cada um de nós possuíssemos uma conta particular e que cada atitude boa nossa contasse como um deposito nessa conta, provavelmente nos esforçaríamos mais conseguir angariar mais depósitos. Nesse capitulo, Emmanuel trata justamente disso, chegará um momento em que, com o despertar da consciência, perceberemos quanto tempo perdemos e provavelmente lamentaremos, por isso, aproveitemos melhor nosso tempo desde já, busquemos fazer o máximo que pudermos no sentido de ajudar o próximo, corrigir nossos defeitos, agindo assim estaremos investindo na nossa poupança espiritual.


39 – Convite ao bem

Durante toda nossa vida recebemos incessantes convites para o trabalho no bem, muitas vezes desatentos olvidamos esses convites, que no entanto não param de chegar, seja através de um livro, em uma conversa com um amigo, da maneira que menos esperamos, de forma sutil, mas sempre chega, sabendo disso aproveitemos a oportunidade, sempre que surgir o chamado para fazer algo bom, algo produtivo, não desperdice essa valiosa oportunidade, pois como nos ensinam os espíritos o que mais lamentamos do lado de lá e o tempo perdido!


40 – Em preparação

Sabemos imprescindível o estudo, necessário a compreensão, inegável a importância da interpretação, mas não nos esqueçamos que tudo isso e uma preparação, pois o que o pai espera de nós e que nos tornemos traduções vivas de seu evangelho, que possamos o quanto antes transformarmos as palavras em atos, vivenciando no dia a dia os ensinos sublimes, galgando assim nossa ascensão ao mais alto, estudemos, nos preparemos, mas não adiemos a pratica!


41 – No futuro

Esta lição e um balsamo de esperança aos nossos corações, nesta sublime lição Emannuel analisa as previsões do mestre diante do futuro de nosso planeta, chegara o momento onde o amor reinara, acabarão as vicissitudes e os problemas, assim sendo viveremos em pleno equilíbrio com as leis naturais. Como o próprio mestre nos disse ele e o nosso pastor e nenhuma de suas ovelhas se perdera, temos essa afirmação categórica do mestre para nos incentivar.  Busquemos então continuar nos nossos esforços diários para a melhora de nós mesmos e claro, procurando ajudar nossos próximos para que esse futuro abençoado e prospero não tarde a chegar. Está em nossas mãos!


42 – Sempre vivos

Nesta lição o inestimável amigo autor nos chama a atenção para uma verdade que por vezes deixamos de enxerga-la da maneira correta, a vida não cessa! Muitos de nós ainda encaramos a morte como fim, o termino, e essa e uma visão equivocada, a morte e uma transformação, uma mudança de plano, mas a vida e o trabalho continuam. Essa lição nos mostra como a existência e uma oportunidade maravilhosa, pois podemos mudar o rumo de nossas vidas a qualquer momento. Seja aos 20, 30 ou aos 80 anos, nunca e tarde para reparar erros e recomeçar de forma diferente!


43 – Boas maneiras

Nessa lição, Emmanuel, trata de um assunto sempre atual, a necessidade da humildade. Muitas vezes ingressaremos nos serviços do bem e dividiremos as experiencia com pessoas que talvez saibam e conheçam menos do que nos, saibamos ensinar e colaborar de maneira eficaz, contribuindo de maneira efetiva, tomando cuidado para o orgulho e a vaidade não transformar a ação benemérita em veneno corrosivo. Jesus nos alertou “assenta-te no último lugar…”, com isso estava nos ensinando a humildade, portanto saibamos sim que temos que colaborar e dividir nossos conhecimentos, mas nunca nos esquecendo de ensinar com humildade!!!


44 – Curas

Esta lição nos traz reflexões interessantes acerca das enfermidades, jesus sempre curou e ensinou seus discípulos a curarem, mas o principal detalhe que não devemos esquecer e que ele recomendava a mudança de postura do enfermo, ainda não compreendemos direito o quão profundo são os ensinamentos do mestre, todas as nossa enfermidades representam alertas, lições, que devemos combater na raiz. Aprendamos a encarar as enfermidades como momentos de reflexão, de autoanalise, pois assim estaremos compreendendo um pouco melhor a necessidade de passarmos por esse tipo de dificuldade. Não nos esqueçamos nunca que deus e nosso pai e sempre quer o nosso bem, a misericórdia divina e infinita, mas devemos por nossa vez nos esforçarmos para corrigir nossas falhas a fim de não desequilibrarmos nosso equilíbrio físico e espiritual evitando assim muitas enfermidades!!!


45 – Quando orardes

Nesta lição o autor espiritual nos chama a atenção para um fator interessante, não devemos orar com displicência, sempre quando nos dispomos a orar procuremos tratar o momento com a seriedade que ele merece.  O espiritismo nos ensina que não há necessidades de dogmas nem rituais no momento da oração, mas há sempre a necessidade da concentração e elevação do pensamento.  A oração verdadeira não pode ser um ato maquinal, devemos nos concentrar, elevar os pensamentos, nos desligar dos problemas, das intrigas e das vicissitudes nossa do dia a dia. Busquemos orar da maneira correta, não nos esqueçamos que a oração e uma conversa com a espiritualidade superior!


46 – Vós, entretanto

Sabemos que com o conhecimento vem também grande responsabilidade, e é justamente sobre isso que essa lição trata. Nós que já possuímos o conhecimento dos ensinos de jesus não podemos nos furtar ao trabalho, não podemos mais arrumar “desculpismos” para nossas falhas, temos a responsabilidade de agir o mais correto que podemos, procuremos perdoar os erros alheios, as injustiças que somos vítimas, pois sabemos que nem todos possuem o mesmo conhecimento que nós. Saibamos que seremos cobrados de acordo com o nosso conhecimento, que possamos assim estar sempre vigilantes e sempre em busca da melhora, sabemos que não somos perfeitos e que estamos longe disso, mas também sabemos que nosso esforço em agir corretamente é sempre levado em conta por nossos amigos espirituais e demonstram o despertar do ser para a realidade espiritual, não nos esqueçamos disso!


47 – O problema de agradar

Um dos grandes problemas da humanidade, entre outros, consiste em querer agradar a todos. Já ouvimos a famosa frase que nem o próprio mestre conseguiu tal feito. Muitas vezes no próprio trabalho no bem vamos receber críticas, comentários maldosos ou sarcásticos, muitas vezes dos próprios companheiros, estejamos preparados e não desanimemos com isso, temos que buscar unicamente a aprovação de nossa própria consciência, sigamos firmes e conscientes com nossos propósitos.


48 – Compreendamos

Na história da humanidade foi muito comum os sacrifícios em nome dos deuses, sacrificavam-se animais e até mesmo seres humanos. Com a evolução da humanidade estes costumes bárbaros foram ficando para trás. Já chegamos a um novo estágio, nestes estágios que estamos já conseguimos compreender que o sacrifico que o mestre espera de nós é outro, devemos sacrificar os nossos maus hábitos, sacrificar nossas paixões terrenas, sacrificar nosso orgulho, nosso egoísmo, estes são os verdadeiros sacrifícios.  Que possamos dia após dia lutar com todas as nossas forças em busca de nos tornarmos uma pessoa melhor!


49 – Velho argumento

Nesta lição, o autor nos lembra a história de Paulo, o apostolo dos gentios, que em um dos seus momentos de pregação para a corte provincial de casarei, é acusado de louco por seus companheiros quando começa a pregar as verdades do cristianismo. Devemos retirar o exemplo dessa passagem e trazer aos nossos dias atuais, não nos assustemos se muitos dos nossos próprios amigos não compreenderem nossa nova forma de pensar e agir, cada um tem seu momento de despertamento, o que vale a pena provarmos é que não devemos desanimar diante dessas situações, devemos compreender seguir adiante, assim como o fez o exemplar apostolo Paulo!


50 – Preserva a ti próprio

Já sabemos que a providência divina jamais nos abandona, isso é fato! Oque não devemos olvidar é a nossa contribuição em contrapartida. Nunca nos é negado o suporte, mas por nossa vez devemos preservar em nós a contribuição recebida, lembremos da icônica frase do mestre jesus “vai, e não peques mais. ” Essa frase demonstra bem que a ajuda vem, mas que a partir daí, precisamos entrar com a nossa cota de esforço para caminharmos para a frente! Que nunca nos esqueçamos disso, sempre seremos ajudados, nunca estamos sozinhos, mas é imprescindível o nosso esforço, a nossa participação!


51 – Socorre a ti mesmo

É nosso dever cuidar do nosso corpo, ele é nosso instrumento para buscarmos nossa evolução e está sob nossa responsabilidade. Todavia não devemos esquecer que sempre é melhor prevenir do que remediar, de nada adianta buscarmos os remédios se não cuidarmos da causa, da origem das enfermidades. O caminho ideal é buscar o equilíbrio dos nossos pensamentos, controlar nossas emoções, evitar os excessos da alimentação e etc. lembremos que nosso corpo é vivo, ele responde aos nossos atos e nossos pensamentos. Adquirindo o equilíbrio estaremos favorecendo a nós mesmos, pensemos nisso!!!


52 – Perigos sutis

A vaidade é um dos graves problemas da humanidade, justamente por isso devemos evitar a idolatria em qualquer circunstância, ela pode acarretar graves problemas.  O apostolo Paulo sempre nos alertou sobre esses problemas, as homenagens e idolatrias podem perverter trabalhadores dedicados, muitos se desviam do caminho correto por sua vaidade insuflada despretensiosamente por amigos, familiares e a sociedade como um todo, tomemos muito cuidado com esses perigos sutis, tanto quando elogiamos como quando somos elogiados, vigilância sempre!!!


53 – Em cadeias

Nessa lição vamos analisar a fala do apostolo Paulo que nos afirma que na condição de prisioneiro ele se sentia mais livre para pregar e divulgar a palavra do mestre jesus, ao primeiro momento nos parece contraditório, mas ao analisar mais profundamente percebemos o que o apostolo dos gentios quer dizer. Falando que mesmo prisioneiro ele se sentia mais livre pra pregar ele nos mostra uma profunda lição, pois muitas vezes alegamos que não começamos o trabalho por falta de condições ideais quando na verdade ele nos mostra que em qualquer condição se pode contribuir, o que precisamos mesmo é de boa vontade e determinação. Não nos esqueçamos desdá lição que o aposto Paulo nos deixou, sempre podemos contribuir!!!


54 – Razão dos apelos

Certa feita um centurião chamado Cornélio, homem conhecido por ser caridoso, convoca em sua casa o apostolo Pedro, mas ao chegar o apostolo pergunta: “por que mandaste chamar-me?” E isso nos serve como valiosa lição. Todos esses grandes espíritos são cheios de grandes responsabilidades e compromissos e muitas vezes vemos em reuniões espiritas pessoas convocando esses notáveis companheiros para suas reuniões.  Devemos sempre ter o bom senso, sabemos que ninguém está desamparado, todos temos grupos de espíritos que nos auxiliam, não há necessidade de convocar esses grandes companheiros que já tem os compromissos deles, estejamos atentos!


55 – Coisas invisíveis

Não tenhamos dúvidas de que conhecemos ainda muito pouco do mundo ao nosso redor, que dirá do mundo espiritual e é natural que esse assunto atice a nossa curiosidade, só temos que tomar cuidado para que isso não seja para nós uma obsessão estagnante. Temos que buscar o conhecimento sempre, o estudo sério é um dos pilares da nossa doutrina, mas tudo que foge do equilíbrio é negativo, sigamos cumprindo nossos deveres da melhor maneira possível que sem dúvida outros horizontes se descortinarão para nós!


56 – Êxitos e insucessos

O aposto Paulo nos deixa uma lição importante sobre êxitos e insucessos. Muitas pessoas passam a vida inteira ansiosas para “vencer” na vida, desejam um cargo de destaque, ou uma condição financeira acima da média, o que não passa de uma ilusão materialista. Paulo, o apostolo dos gentios, nos explica que precisamos aprender a viver na abundância e na penúria, pois as duas condições são poderosas professoras, uma pessoa sábia conseguirá retirar as lições necessárias de cada uma delas. Esforcemo-nos para conseguir enxergar as oportunidades de crescimento em ambas, agindo assim estaremos cainhando rumo ao progresso moral!


57 – Perante Jesus

No emprego em que estivermos, seja ele qual for, temos que buscar sempre dar o melhor de nós.  O aposto Paulo nos ensinou que qualquer trabalho que realizarmos temos que realiza-lo perante Jesus. A forma como lidamos com as vicissitudes do nosso círculo de trabalho diz muito sobre nós. O trabalho dignifica o homem, mas também a forma como trabalha, sejamos sempre prestativos e eficientes, pacientes e agradecidos. Sabemos que nada é por acaso e onde nos encontramos é sempre o local ideal para o nosso crescimento e desenvolvimento!


58 – Contribuir

Até hoje muitos companheiros ainda não compreendem o sentido real da caridade. O apostolo Paulo nos ensina que o que agrada a deus é dar com alegria. Independente se oque estivermos dando for bens materiais, nosso tempo ou nossa atenção, sempre que fizemos algo para o nosso próximo façamos com alegria, com o prazer de ajudar, com boa vontade e entusiasmo, essa é a verdadeira e única caridade!


59 – Sigamos até lá

Muitas vezes o cristão, de qualquer ordem religiosa, sente um desânimo muito grande por não ver seus desejos, feitos em preces, serem atendidos. Como o próprio mestre disse, nenhuma prece fica se resposta, mas nem sempre percebemos essa resposta. O que acontece na maioria das vezes é nossa falta de compreensão.  Ainda não sabemos usar da forma correta o recurso da prece, fazemos pedidos egoísticos, materialistas, superficiais e por aí vai. Chegará o momento que veremos todas nossas preces atendidas.  E esse momento será quando mudarmos a forma de compreender a vida, com o amadurecimento do espírito ele saberá fazer o pedido do que realmente precisa, como coragem, esperança, resignação. Que possamos seguir firmes em busca desse amadurecimento!


60 – Lógica da Providência

Muitas pessoas se assustam ao ver a história dos grandes nomes do cristianismo, pois em sua maioria eles sofreram muito, foram perseguidos, humilhados, maltratados e isso impressiona a pessoa que começa a querer trilhar o caminho da mudança. Oque não podemos esquecer é que deus dá o fardo conforme nossa capacidade. Todos esses grandes personagens da história cristã são espíritos capacitados, que já angariaram em suas experiencia a força necessária para enfrentar esses tipos de adversidades. Ninguém colocaria uma pessoa inexperiente no leme de sua embarcação, da mesma forma acontece com o cristianismo. Não nos preocupemos com as dificuldades e vicissitudes do caminho, seja qual for o problema que nos apareça, tenhamos certeza que é algo do qual necessitamos para o nosso melhoramento e que deus, como o pai misericordioso que é não colocaria em nossos ombros algo que não conseguíssemos carregar. Busquemos diante da dificuldade o recurso da oração pedindo coragem e determinação que com certeza conseguiremos triunfar!


61 – O homem com Jesus

Nesta lição o autor nos mostra como todos nós sairíamos ganhando se seguíssemos os conselhos, lições e exemplos do mestre jesus. Com certeza podemos afirmar de antemão que evitaríamos muitas complicações e nos sairíamos muito bem diante da maioria das vicissitudes, não olvidemos que a vida sempre nos surpreenderá com as dificuldades oriundas de nosso atual estágio evolutivo, mas seguindo o exemplo do mestre e refletindo nos seus abençoados ensinos, conseguiremos sempre vencer as dificuldades e seguir adiante!!!

 


62 – Jesus para o homem

Jesus nos amou incondicionalmente, e a maior prova disso, foi seu sacrifício. Encarnou no nosso planeta com o intuito de, com o seu exemplo, nos ensinar qual o caminho devemos trilhar, enfrentou dificuldades mil, não esmoreceu, continuou seu proposito e após toda essa jornada de martírio, saiu daqui pelos braços da cruz. Nos momentos extremos finais de sua existência nos abençoou e reafirmou seu amor. Que homem foi Jesus Cristo! Sigamos sempre seu exemplo, essa é a melhor forma de retribuirmos esse amor!!!


63 – O Senhor dá sempre

Nesta passagem Jesus nos chama a refletir, usando como exemplo simples, imagine um pai comum aqui da terra, com todas as suas imperfeições e tal, mesmo assim ele sempre sabe recompensar um filho seu quando age corretamente, imagine deus, que é totalmente justo.  Com certeza, ele sabe reconhecer e recompensar quando agimos corretamente, é que na maioria das vezes nosso próprio egoísmo nos impede de ver o tanto que somos ajudados, quanto livramentos não acontecem com cada um de nós diariamente, saibamos reconhecer e jamais duvidar de que o senhor dá sempre, como jesus falou!


64 – Melhor sofrer no bem

Nessa passagem, o apóstolo Pedro nos faz refletir sobre resignação. Com certeza ninguém gosta de sofrer, mas mesmo assim o melhor caminho que podemos escolher é de sofrer resignado, muitas pessoas pensando em sair do sofrimento escolhem caminhos errados e sem perceber acabam atraindo para si mais sofrimento. Por isso o apóstolo nos alerta: “melhor sofrer no bem”, pois agindo assim estaremos quitando nossas dívidas, colocando fim ao sofrimento, da outra maneira estaríamos adquirindo novas dívidas e consequentemente mais sofrimentos para o futuro, pensemos nisso!


65 – Tenhamos paz

Esta lição é essencial para o momento que estamos enfrentando. Devido à condição do nosso planeta, ainda nos defrontamos com inúmeros casos de violência, de injustiças, de abusos e etc., mas o autor nos mostra que, se quisermos avançar na escala evolutiva, precisamos preservar a nossa paz. Todos nós possuímos uma força interior maior do que imaginamos, mas para acessa-la precisamos do esforço diário, controlando nossos ímpetos de impaciência, de cólera, e etc. Busquemos agir com paz, nos nossos atos, nas nossas palavras, enfim, lembremo-nos das palavras do mestre Jesus “Bem-aventurados os mansos e pacíficos, pois deles é o reino dos céus! ”.


66 – Boa vontade

Nesta lição o autor nos ensina qual a chave principal para iniciarmos o nosso trabalho no bem, a nossa reforma íntima, enfim, tudo o que precisamos fazer! E ela é bem simples, não nos pede grandes esforços, coisas mirabolantes ou gigantescas, nos pede uma coisa apenas: boa vontade! Procuremos sempre, em tudo o que formos fazer ter boa vontade! Seja no nosso trabalho físico, dentro do nosso lar, nos favores aos outros, tudo, sempre, façamos com boa vontade! Agindo assim estaremos movendo forças extras em auxílio à nossa jornada rumo ao aperfeiçoamento!


67 – Má vontade

A todo o momento devemos conservar a nossa vigilância em alerta. Muitas vezes, pequenos deslizes, de nossa parte, podem gerar consequências tenebrosas que nos atrapalharão em nossa caminhada. Procuremos sempre analisar nossa postura diante das situações. A própria forma como realizamos as nossas tarefas diárias merecem atenção. Empreguemos em tudo o que fizermos dedicação e boa vontade! Realizar qualquer serviço envolto em má vontade é cavar o próprio empecilho a nossa evolução, pensemos nisso!


68 – Necessário acordar

Muitos de nós, ao procurarmos os recursos da religião desviamos do foco principal. Muitos se dedicam a procurar fatos históricos, outros questionam a forma da escrita, erros ortográficos, outros procuram curiosidades, enfim.

Tomemos o cuidado de buscarmos a essência, como diz o titulo da lição, busquemos acordar, amadurecer nosso espírito, focar nos pontos principais que são a busca da melhora íntima e a nossa própria evolução. Claro que, com isso não estamos dizendo que não se deve verificar a fonte e o conteúdo dos livros, é responsabilidade nossa passar tudo pelo crivo da razão e a buscar sempre escritores e autores idôneos, mas sempre que acharmos bons livros, foquemos no conteúdo da mensagem. Temos muitos livros bons por aí, com mensagens e ensinos belíssimos, cabe a nós aproveitarmos essa fonte de água límpida!


69 – Hoje

Todos os dias temos que buscar nossa melhora íntima, isso é fato! Nessa lição o autor nos mostra a importância do hoje. Não podemos ficar presos nos nossos erros do passado, pois isso nos deixaria paralisados, nem tão pouco preocupados com os possíveis problemas do futuro, pois nem sabemos o que iremos enfrentar. O tempo propício é sempre o hoje! A cada dia que amanhece temos mais uma chance de recomeçar, mudar o rumo de nossas vidas, não por engano esse tempo se chama “presente”, aproveitemo-lo!


70 – Elogios

O apóstolo Paulo sempre nos alertou sobre o perigo dos elogios. Mas nós, devido nosso orgulho, podemos jogar por água abaixo toda nossa conquista por conta do ego. Procuremos sempre buscar o equilíbrio. Como diz Joana de Ângelis: não devemos nem nos culpar demais nem nos absolver. Devemos sim reconhecer e comemorar nosso progresso isso é natural e saudável, mas devemos também ter consciência de que ainda estamos longe da perfeição e que temos muito a aprender ainda. Que saibamos ter o equilíbrio e sempre manter cuidado e vigilância quanto aos elogios, tanto para os que recebemos quanto para os que dispensamos aos outros!


71 – Sacudir o pó

Nessa lição o autor lembra a expressão de Jesus, sacudir o pó das sandálias.  Nessa expressão Jesus foi ao seu mais profundo significado, não basta apenas seguir adiante das ofensas e das incompreensões, temos ainda que não guardar magoa em nossos corações, aceitar que cada um tem seu momento e sua capacidade de compreender. Muitos ainda não estão preparados para ouvir e compreender todas as lições do mestre. Concluímos, então, que não devemos nos abater nem desanimar quando formos incompreendidos sobre as lições Jesus, sacudamos a poeira de nossas sandálias e sigamos adiante!


72 – Contempla mais longe

A nossa vida, resumidamente poderia ser facilmente comparada a um grande espelho onde veríamos refletidas as nossas próprias atitudes. Se vivemos desanimados, reclamando de tudo, não tendo esperança, sendo pessimistas e acomodados não tenha duvida que dificilmente nossa vida prosperará. Busquemos dar para a vida oque queremos para nós, busquemos o trabalho, a gratidão, a esperança, a confiança, o bom humor e observe como as coisas ao seu redor mudarão. Aprendamos a contemplar mais longe, não ficar detido nos problemas do dia a dia, não nos aborrecermos por coisas pequenas e sim enxergar mais longe, compreender que tudo na vida é lição, tudo é aprendizado, e ela é exatamente como tem de ser. Sigamos confiantes!


73 – Aprendamos o quanto antes

Muitos de nós, nas lidas de nossa vida, em um momento ou outro já fomos agraciados com as bênçãos do mais alto, a recuperação de uma doença, um emprego melhor, um bom companheiro ou companheira, uma família equilibrada, amigos leais e sinceros, enfim, com certeza se analisarmos de forma justa vamos perceber que já fomos abençoados várias vezes em nossa vida e que muitas preces nossas foram atendidas. Por isso, aprendamos o quanto antes a retribuir todas essas bênçãos, aprendamos a ser auxiliares do mestre, aproveitando cada oportunidade que nos apareça de ser uteis, somente assim encontraremos o equilíbrio necessário e esperado, colaborando com os irmãos maiores!


74 – Más palestras

Muito atual essa lição nos constrange a graves ponderações. Muitas vezes somos invigilantes com as palavras. Comentários sarcásticos, maldosos, maledicências, ironias, aspereza na forma de falar, palavras inoportunas, entre outros. Cabe a nós maior atenção nesse sentido, para não nos enveredemos para o lado sombrio, procuremos sempre a ponderação antes falar algo, nos coloquemos no lugar de quem ouve, falemos pacificando, sem gritar, com paciência e ternura. Agindo assim angariaremos tesouros preciosos em torno de nossos passos!


75 – Murmurações

Infelizmente, as reclamações fazem parte dos nossos dias. Qualquer contratempo que surja, mesmo que seja dos menores possíveis, raramente não são acompanhados de reclamações.  A queixa acaba se tornando um hábito. Nós nos habituamos a reclamar: do tempo, dos políticos, da violência, da incompreensão, do emprego (ou da falta dele), enfim, quase tudo encontramos um motivo para murmurações. Procuremos o quanto antes abandonar esse hábito que tanto nos prejudica, evitemos ser essas pessoas. Reclamações nunca resolveram nada, pelo contrario, muitas vezes acabam agravando, ainda mais, a situação. Como nos orienta os amigos espirituais: sempre que surgir uma vontade de reclamar, procure um motivo para agradecer e vamos perceber que temos muito mais do que nos falta.


76 – As testemunhas

Algo que não pode nunca sair dos nossos pensamentos é que nunca, em nenhum momento, estamos a sós. Diariamente estamos rodeados de testemunhas, sejam os familiares, os amigos do trabalho, pessoas anônimas, sempre tem alguém observando nossas atitudes. Para além, não devemos esquecer das testemunhas espirituais. Todos nós temos muitos amigos espirituais, parentes já desencarnados, nosso mentor, todos eles também são testemunhas de nossos atos. Lembremo-nos disso sempre que possível, isso nos ajudará a vigiar melhor nossas atitudes. Jamais nos encontramos sozinhos!


77 – Responder

Nem sempre, na correria do dia-a-dia, conseguimos manter o equilíbrio das nossas emoções. Somos desafiados no campo dos nossos trabalhos, entre amigos e até mesmo entre familiares. No entanto, é imprescindível controlarmos nossas línguas! O autor da lição nos demonstra o quanto devemos exercitar a paciência para aprendermos a responder adequadamente, mantendo a calma e a serenidade. Aprendamos a responder pacificando, não sabemos os problemas que os outros estão enfrentando, busquemos exercitar o nosso autocontrole e a nossa empatia, não tenhamos dúvidas que agindo assim somente temos a ganhar.


78 – Segundo a carne

Vivemos em um mundo que está passando por um processo de transição, mas por enquanto, ainda estamos em um mundo de provas e expiações.  Aqui recebemos muita influência da matéria, isso é um fato. No entanto, isso não nega que possamos ir vivendo de forma mais espiritualizada. Quanto antes despertarmos para uma vida voltada mais para a parte espiritual, melhor para nós. Todos temos a capacidade de nos espiritualizar, isso não quer dizer que devemos nos tornar pessoas fanáticas, nem excluídas da sociedade, apenas que podemos ir mudando um pouco a ordem dos nossos valores. Por exemplo, devemos obviamente nos preocupar com os nossos trabalhos, nossos empregos, mas busquemos também ter o mesmo compromisso com os trabalhos de caridade, cuidemos com dedicação da higiene do nosso corpo, mas cuidemos com a mesma dedicação com a higiene dos nossos pensamentos. Tomando esses cuidados já estaremos trabalhando para uma espiritualização. Pensemos nisso!


79 – O “mas” e os discípulos

Eu queria ajudar mais, “mas” não tenho tempo.

Eu poderia contribuir, “mas” não tenho recursos.

Essas frases são comuns de escutar, inclusive nós mesmos proferimos elas com frequência. O “mas” é o grande empecilho que atrapalha a evolução! Claro que não podemos fazer algo que vá além das nossas possibilidades, mas, com toda certeza, se nos esforçarmos, conseguiríamos fazer muito. O discípulo aplicado é aquele que faz o máximo, dentro de suas possibilidades, como o próprio Kardec nos ensinou: “… o verdadeiro espírita será reconhecido por seu esforço! ” Deixemos o “mas” de lado e esforcemo-nos!


80 – O “não” e a luta

Muitas vezes acreditamos que para sermos boas pessoas devemos dizer sim para tudo, não é bem assim. Jesus mesmo nos ensinou: seja sua palavra sim, sim, não, não! Não precisamos, nem devemos concordar ou aceitar tudo, todavia não precisamos ser pessoas ásperas ou rudes para falar não, falemos com educação e paciência, mas não deixemos de falar “não” para algo que nos prejudicará ou que não estamos de acordo. Sejamos sempre honestos conosco mesmos. Agindo assim, somente temos a ganhar.


81 – No paraíso

Quando Jesus estava na cruz, ao seu lado estava também outro homem passando pela mesma situação e Jesus o conforta, dizendo que ele também estará no reino dos céus. No primeiro momento parece que Jesus apenas simpatizou com aquele homem, mas na verdade vai muito além, aquele momento diante de tudo que estava acontecendo se arrepende e se converte com a maior sinceridade do seu coração. Jesus, que sabia ler o íntimo das pessoas, reconhece que o arrependimento e a conversão daquele irmão eram legítimos. Para nós fica a sublime e eterna lição, Jesus está sempre esperando nossa conversão.

Todos nós, ainda somos imperfeitos, cometemos erros, enfrentamos dificuldades, mas a partir do momento que quisermos deixar tudo isso para trás e nos esforçarmos para mudarmos não tenhamos dúvidas de que o mestre estará lá para nos auxiliar em nossa nova caminhada.


82 – Em espírito

A maioria das pessoas tem um problema muito grande com o apego, acabamos nos apegando demais, aos nossos bens materiais, às pessoas que convivem conosco, a nossa cidade, enfim, temos esse sentimento de posse muito forte em nós. Acontece que não podemos esquecer que somos espíritos e que tudo isso que desfrutamos são empréstimos de Deus, nada nos pertence.  Procuremos refletir sobre isso e ir exercitando o desapego, lógico que não precisamos abandonar tudo e viver isolados, apenas ir trabalhando em nós esses pensamentos, isso nos ajuda a viver mais como espíritos que somos. Evitaremos assim muitos problemas no momento de partirmos.


83 – Conforme o amor

Nosso planeta, infelizmente, é carregado de preconceitos. Antes mais do que hoje, mas estamos longe de nos livrarmos desse terrível mal. Sobre isso, nosso abnegado irmão Paulo faz um apontamento certeiro, ele nos ensina que devemos olhar e analisar nosso próximo “conforme o amor”, com isso ele quis dizer que não devemos julgar o próximo por sua religião, por sua etnia, por sua condição financeira e etc. Cristo nos disse há mais de dois mil anos, “somos todos irmãos”. A doutrina espírita também nos esclarece muito quando diz que somos espíritos milenares, já vivemos em diferentes condições financeiras, em diversas nações, porquê, então, o preconceito? Sendo que possivelmente já estivemos nas mesmas condições? Porque tapar os ouvidos aos conselhos de um irmão só por ele ter outra religião? Enquanto não quebrarmos essas barreiras que nós mesmos criamos ficaremos presos a elas, deixemos os preconceitos de lado e comecemos, o quanto antes, olhar nossos irmãos conforme o amor. Pois, somente assim, alcançaremos o almejado progresso íntimo.


84 – Levantando mãos santas

Na epístola de Paulo a Timóteo, o nosso irmão querido nos faz referências às mãos santas que se elevam sem ira, nem contenda. O quê, na maioria das vezes, esquecemos de analisar é que ele diz que as mãos devem ser santas em todo lugar. Com isso, ele nos ensina que as mãos abençoadas que oram devem ser as mesmas mãos abençoadas que seguram o martelo, a caneta ou qualquer outra função que exercemos. Devemos ter mãos santificadas para a nossa vida como um todo. Lembremos de que é no dia-a-dia que temos as oportunidades de colocarmos em prática tudo o que aprendemos nos livros e nos templos religiosos, realizemos nossas obras sempre santificando sem ira, nem contendas, evitando dissabores e perturbações em nossas vidas, aproveitemos a abençoada oportunidade.


85 – E o adúltero?

Na famosa passagem evangélica sobre a mulher adúltera, Jesus nos deixou magnífica lição. Muitas vezes somos especialistas em encontrar defeitos no próximo, mas não temos essa mesma habilidade para ver nossas próprias falhas. Voltando para a passagem evangélica, quando apresentam ao Cristo a mulher adúltera, esperavam dele uma condenação, mas o Mestre, com toda sua sabedoria provoca a reflexão, autorizando o apedrejamento para aquele que estivesse livre de falhas e, claro, ninguém está.

Se aquela irmã foi pega em adultério, aonde estava o homem com o qual ela estava? Porque ele também não fora levado ao julgamento dos homens? Quantos entre aqueles que a estavam julgando também não haviam errado da mesma forma, apenas não tendo sido flagrados? Não nos esqueçamos dessa passagem… antes de julgar e condenar alguém por uma atitude equivocada lembremos que somos imperfeitos e carregamos nossas falhas também.


86 – Intentar e agir

Todos nós ao buscarmos o estudo sério, a pesquisa edificante, acabamos por melhorar nossa sintonia, e quando isso acontece somos inspirados por amigos invisíveis à pratica do bem. O que urge, no entanto, é a ação prática, precisamos locomover o bem do campo das ideias para o campo das ações. Procuremos o quanto antes fazer aquela visita ao asilo, ou aos hospitais, separar aquelas roupas que estamos pensando em doar, ligar para aquele parente ou amigo que faz tempo que não vemos, enfim, não deixemos para depois, façamos o bem sempre que as ideias surgirem em nossos pensamentos, agindo assim estaremos nos portando como reais colabores do bem maior. Pensemos nisso!


87 – Pondera sempre

Seria muito egoísmo nosso não dividir os abençoados ensinamentos do espiritismo. Na verdade, sabemos que temos que colaborar na divulgação de tão preciosas consolações. Entretanto, cabe sempre a ponderação. Temos que ter o cuidado necessário ao trazer o assunto à tona, lembremos que tudo tem seu momento certo, não devemos nunca violar o direito dos outros pensarem livremente sobre qualquer assunto, devemos sempre respeitar a crença alheia. O conhecimento espírita tem um grande valor de consolação, usemos todo esse valor de maneira assertiva, sem criar contendas ou desentendimentos. Lembremos que o Cristo nos ensinou o amor incondicional, então coloquemos sempre o amor em nossas palavras e nossos atos. Espalhemos as verdades dos espíritos sempre que pudermos, mas, sempre de forma respeitosa e sem imposição, só assim estaremos jogando as sementes em solo fértil.


88 – Correções

Deus é pai!  Muitos de nós já ouvimos e provavelmente já dissemos esta frase a muitas pessoas, mas será que entendemos o significado real dela? Todo pai, com o mínimo de responsabilidade, corrige seu filho ao vê-lo em alguma atitude equivocada e é um costume louvável, todos reconhecem isso. No entanto, quando somos corrigidos por Deus, através do aguilhão da dor ou da dificuldade, não raro, nos revoltamos. Aprendamos a encarar as dificuldades como professoras da vida, como uma correção de atitudes errôneas de nossa parte. Sem as dificuldades não progrediríamos. Sigamos sempre em frente, as dificuldades fazem parte das nossas vidas no mundo em que estamos.  Dia virá que não precisaremos mais das vicissitudes, mas para chegar lá temos que aprender a nos resignarmos à vontade de nosso pai que está no céu.


89 – Bem-aventuranças

Jesus, nosso metre maior, deixou várias bem-aventuranças para nós.  Lições que nos servem de ensinamentos, consolações, entre outras coisas. Quando o mestre diz que serão bem aventurados os pobres, os aflitos, os injustiçados, não podemos esquecer um importante detalhe, só teremos essa bem aventurança se aceitarmos essas condições. Muitas vezes sofremos com a pobreza, com a injustiça, mas ficamos revoltados, indignados e acabamos nos perdendo. No fundo não aceitamos essa condição. Lembremo-nos sempre, que para sermos bem aventurados temos que aceitar de bom coração as chamadas adversidades, pois sabemos que elas são abençoadas professoras. A revolta, a indignação e outros sentimentos desse teor são verdadeiros venenos com o qual contaminamos nosso corpo físico e espiritual, não nos esqueçamos disso.


90 – O trabalhador divino

Jesus foi chamado de muitas formas quando esteve entre nós. Chamaram-no mestre, pastor, salvador, messias, príncipe da paz, todos esses nomes são adequados por tudo que ele representa. Mas hoje aqui nessa lição gostaríamos de estudar a forma com que João Batista o chamou, que foi trabalhador. Vale lembrar que o próprio Jesus também se denominava trabalhador. Reflitamos sempre sobre esse detalhe, apesar de mestre, de salvador, de messias ele nunca deixou de ser um trabalhador. Trabalhador esse incansável, dedicado e empenhado, sigamos mais esse exemplo do mestre, não importa qual condição nós ocupamos na terra, sejamos sempre trabalhadores divinos, dedicados e empenhados.


91 – Isso é contigo

Todos nós somos imperfeitos, todos! Tendo consciência disso, não deveríamos ser um pouco mais tolerantes com os erros alheios? A frase que ilustra nosso titulo foi dita a Judas, quando ele confessou seu erro. As pessoas que o ouviram “lavaram as mãos” subentendendo-se: – você que errou, eu nada tenho a ver com isso! Não tenhamos duvidas da retidão da justiça divina, todos arcarão com as consequências de seus atos, porém, isso não nos impede de acolher o irmão que erra. Somos falhos, possivelmente amanhã seremos nós que talvez precisemos de acolhimento também, pensemos nisso!


92 – Deus não desampara

Jesus, quando esteve entre nós, nos ensinou várias lições. Um desses ensinamentos foi de tratar Deus como nosso pai. Derrubou-se assim aquela ideia de um Deus punitivo que nos castigaria. Nasceu à ideia de um Pai misericordioso, paciente, amoroso, que nos daria quantas chances precisasse para crescermos. Que lição abençoada, como é bom saber que temos um Pai sempre disposto a nos estender a mão quando cairmos, um Pai que quer nos ver progredir e não nos castigar. Não tenhamos duvidas de que sempre colheremos todo o mal que plantarmos, mas não duvidemos também que temos um Pai que estará sempre disposto a nos ajudar quando quisermos mudar os rumos de nossa vida. Um Pai que ampara e abençoa os nossos passos!  

 

(Veja outras dicas de leitura aqui).

 

 

 

Você pode gostar...

33 Resultados

  1. kei Sakihama Nagata disse:

    Boa Noite !!! Gosto das explicações de cada página … para poder manifestar as minhas … vai ter prosseguimento após o 86 por gentileza?

  2. Neusa disse:

    Gostaria de ver o 108 oração

  3. Neusa maria disse:

    Gostaria de ver a explicação 157 filho egoísta tenho dúvidas agradecida

  4. TEREZA CRISTINA GOUVEIA REIS Cursista PROGEPE 2019 disse:

    Olá
    Boa tarde
    Pq parou no item 80? Gostaria de ver os esclarecimentos dos outros itens

  5. Cida sueza disse:

    Gostaria de ver o comentário sobre a lição 78
    Ok ir gentileza mande p meu emai

  6. Cida sueza disse:

    Aguardo mais comentários das outras lições faço estudo toda semana são valiosos os ensinamentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *